3 de junho de 2014

Teatro de Fantoches- Os dois amigos

Apoio a professores de EBD Infantil
Olha só, pessoal! Que vídeo legal! Uma história evangelística para vocês levarem para seus alunos!
Teatro de Fantoche "Os dois amigos"

17 de abril de 2014

Colorindo Missões: Revista Infantil Gratuita que ensina Missões às crianças. Em quatro idiomas!

Apoio a professores de EBD Infantil

Pessoal, olha só que bênção! Baixe agora mesmo a Revistinha Infantil sobre Missões; use-a conforme a orientação dos amados irmãos que a estão distribuindo. Acompanhe,oriente, participe também; esta é uma ótima oportunidade para os pais estarem junto de seus filhos em uma atividade edificante e prazerosa!




Olá irmãos! É com felicidade que apresentamos a vocês a revista Colorindo Missões, uma revista totalmente gratuita de atividades para crianças, que tem como objetivo ensiná-las, de forma bíblica e divertida, valores da obra missionária da igreja de Cristo.
     Ao unir desenhos e atividades a alguns dos principais versículos missionários da Bíblia, nosso propósito é que as crianças possam desde já ir familiarizando-se com os mesmos, e associando-os à obra de alcançar todos os povos com o Evangelho, o que as ilustrações e atividades buscam transmitir.
     Embora não seja fundamental, o ideal é que este recurso seja trabalhado pelo educador ou pelos pais da criança, com explicações e exemplos acerca da mensagem dos versículos e ilustrações, para que ela possa ter uma maior compreensão do conceito e da importância de Missões.
     Como dissemos, este é um material gratuito, oferecido a partir do Brasil pelos blogs missionários Veredas Missionárias e Celeiro Missionário, em quatro línguas: português, inglês, espanhol e francês.  A revista possui 24 páginas e está disponível em PDF, nos tamanhos A4 (210 x 297 mm) e A5 (148 x 210 mm). Você também pode copiar as imagens individualmente, no formato JPG. 

     Nós lhe incentivamos a baixar a revista, imprimi-la e/ou xerocá-la para ser distribuída entre crianças, educadores cristãos e igrejas evangélicas. Você pode usá-la no todo ou em partes, mas lembre-se: ela não pode ser vendida.
     Nossa oração é para que o Senhor levante entre nossas crianças uma nova geração de missionários, como jamais houve, missionários que possam concluir a tarefa ordenada à igreja na Grande Comissão.
Sammis Reachers & Vilma Pires (editores)
Desenhos de: Fabiano Silva Souza (Fabico)
Tradutores
Inglês: Jairo de Oliveira
Francês: Rui Miguel Duarte


28 de março de 2014

Recursos para as suas aulas serem ainda melhores


Apoio a professores de EBD Infantil
Olá, Pessoal, quero hoje indicar para vocês links de Histórias bíblicas e de dicas para o trabalho com suas queridas crianças na EBD, de acordo com a faixa etária.

Navegando e recebendo dicas, vejam só que legal que encontrei! Acessem e conheçam:

Bibliajando  Um canal muito legal no You Tube recheado de lindas histórias bíblicas acerca da criação.

Histórias da APEC: Vale a pena, inúmeras histórias para a sua atividade docente com os pequenos!

Gospel Infantil: Diversas dinâmicas para crianças

Helena Tannure- Ministério com crianças: Precisamos aperfeiçoar os talentos que Deus nos deu! Orientações valiosíssimas!

Conheçam aqui um pouco do Bibliajando:

26 de janeiro de 2014

Alô, quem fala? Sou eu Jeová teu Deus (Marcos Antônio)

Apoio a professores de EBD Infantil




Homem recitando:

- Quando você tiver um problema e não achar a solução, telefone para o céu, e o nosso Pai responde a oração!


- Alô, quem fala?
- Sou Eu, Jeová, teu Deus. (2x)

- Oh Deus Jeová, eu quero te falar um segredo meu, é particular.
  O dia da criança chegou e eu não brinquei, presente eu
  Não ganhei, por isso eu chorei.

- Alô, quem fala?
- Sou Eu, Jeová, teu Deus. (2x)

- Eu Sou Deus, Jeová e quero lhe dizer que o meu
  Amor é grande, é grande até demais.
  Vou dar-lhe uma coisa tão bonita que lhe satisfaz
  E o meu presente que eu tenho pra dar não é o presente de Papai Noel.
  Dinheiro nenhum o pode comprar porque é o seu lugarzinho
  Lá no céu.
  Dinheiro nenhum o pode comprar porque é o seu lugarzinho
  Lá no céu.

- Alô, quem fala?
- Sou Eu, Jeová, teu Deus. (2x)

 Recitando:
- O céu? Como é o céu?
- Ah, o céu é um lugar muito bonito. Aqui as ruas são de ouro, os muros de cristal; tem uma árvore bem grandona, e um rio de águas bem clarinhas.
- Eu vou poder brincar?
- Claro. Aqui todas as crianças vão ser muito felizes, e Jesus Cristo, Meu Filho, tem muitas histórias pra contar.
- Ah... eu quero ir pro céu agora.
- Agora? Espere um pouquinho, está bem?
- Por quê?
- Porque Eu estou preparando uma festa para receber você!


Volta a cantar:
- Alô, quem fala?
- Sou Eu, Jeová, teu Deus. (2x) 

- Oh Deus Jeová eu quero agradecer pelo presente que pra mim preparou.
- Eu quero sempre lhe telefonar até a resposta, quando eu precisar.

- Alô, quem fala?
- Sou Eu, Jeová, teu Deus. (2x)




25 de janeiro de 2014

Aos olhos do Pai - Diante do Trono Crianças Ana Paula Valadão

Apoio a professores de EBD Infantil



Aos olhos do Pai,
Você é uma obra prima
Que Ele planejou,
Com Suas próprias mãos pintou

A cor de sua pele
Os seus cabelos desenhou
Cada detalhe,
Num toque de amor

(bis)

Você é linda demais,
Perfeita aos olhos do Pai
Alguém igual a você
Não vi jamais

Princesa linda demais
Perfeita aos olhos do Pai
Alguém igual a você
Não vi jamais

Aos olhos do Pai,
Você é uma obra prima
Que Ele planejou,
Com Suas próprias mãos pintou

A cor de sua pele
Os seus cabelos desenhou
Cada detalhe,
Num toque de amor

Nunca deixe alguém dizer
Que não é querida
Antes de você nascer
Deus sonhou com você

(bis)

Você é linda demais,
Perfeita aos olhos do Pai
Alguém igual a você
Não vi jamais

Princesa linda demais
Perfeita aos olhos do Pai
Alguém igual a você
Não vi jamais.


5 de dezembro de 2013

É Natal! Nada de Papai Noel. Pregue a Cristo- O verdadeiro Natal.

Apoio a professores de EBD Infantil
 
"E desviarão os ouvidos da verdade, voltando às fábulas." (2 Timóteo 4:4)
 

O que você, professor de EBD ou de Escola Cristã, vai ensinar neste mês de Dezembro acerca do Natal às suas crianças? 
É claro que irão falar sobre Jesus. Mas, que desenho será dado para elas pintarem? De uma manjedoura, mostrando-lhes o sentido dela para a existência do Natal? Ou ainda o velho desenho do Papai Noel?
Certa vez fiquei espantada ao ver que uma criança que estudava secularmente em uma Escolinha Evangélica (não vou citar de que denominação apenas por uma questão de ética), trazia para casa um desenho do Papai Noel com algodão colado na barba. E ainda, no dia da comemoração na mesma escolinha, havia ali alguém vestido de Papai Noel para as crianças sentarem no colo dele e tirar fotos recebendo o presente que os pais dos alunos compraram.

Infelizmente, muitos cristãos, sejam eles católicos ou protestantes, no momento da confraternização em suas casas, leem mensagens que falam de Jesus, mas também usam gorros de "Papai Noel"; mesmo sabendo que ele não é o verdadeiro dono da Festa . E assim, muitos, sejam católicos ou protestantes, têm vivido um Natal mesclado de verdade e mentira.

Acredito que já chegou a hora, e a hora é esta, de abandonarmos estas mesclas; de sermos fiéis ao ensino do Evangelho; é isto que Deus espera de nós professores e pais: "Se é ministério, seja em ministrar; se é ensinar, haja dedicação ao ensino;" (Romanos 12:7). Observe a oração de Jesus: "Santifica-os na tua verdade; a tua palavra é a verdade." (João 17:17). E não pensemos que esta é uma tarefa somente da igreja, mas é de cada pai e de cada mãe, levar os seus filhos a trilhar e a crer na Verdade da Palavra de Deus: "Educa a criança no caminho em que deve andar; e até quando envelhecer não se desviará dele." (Provérbios 22:6)
Gostaria que você fizesse junto comigo, uma análise de como algumas características divinas incomunicáveis acabam sendo atribuídas ao Papai Noel:

Onisciência: Ele sabe tudo que cada criança do mundo quer ganhar. E ainda, sabe que criança se
Onipresença: Ele consegue entregar todos os presentes, no mundo inteiro, à meia-noite, ao mesmo tempo.
Onipotência: Pode satisfazer TODO e qualquer desejo, não há impossíveis. (os papais e as mamães "farão das tripas coração", mas irão comprar aquilo que a criança pediu ao "Papai Noel").
Eternidade: Ele nunca morre.
Outro aspecto importante a ser observado, é que o Senhor Jesus disse: "Jesus, porém, disse: Deixai os meninos, e não os estorveis de vir a mim; porque dos tais é o reino dos céus." (Mateus 19:14) e "Jesus, porém, vendo isto, indignou-se, e disse-lhes: Deixai vir os meninos a mim, e não os impeçais; porque dos tais é o reino de Deus." (Marcos 10:14); porém este "bom velhinho" tem tentado roubar a atenção que é de Cristo!
Tenhamos cuidado no que estamos alimentando no coração de nossas crianças. Se quando são crianças, estes atributos estão presentes em um personagem que mais cedo ou mais tarde virão a saber que não passa de uma mentira; que ideia farão em sua mente quando o Verdadeiro Deus que de fato é dono destes atributos lhes for apresentado? Falamos agora do Deus vivo e verdadeiro, que deve ser crido e obedecido. Que valor darão ao Deus invisível que traz estas características antes atribuídas a uma mentira?

O que dizem os psicólogos acerca do Papai Noel?

Os psicólogos alegam que quando você não permite a criança adentrar no lúdico, no imaginário você está causando danos à sua personalidade.  Alegam que a fantasia,os jogos, as brincadeiras, etc. proporcionam um bom desenvolvimento cognitivo. De fato, estas coisas são importantes até certo ponto; jogos e brincadeiras, histórias de contos de fadas, são uma coisa. Outra coisa e criar e alimentar uma história que invade a realidade e confunde a mente das crianças, até mesmo para que não valorizem a verdadeira fonte de provisão para a vida delas e da realização de suas expectativas de brinquedos, etc. que, primeiramente é Deus, e logo em seguida, seus pais, seus avós, tios, etc, principalmente os pais; transferindo toda a sua admiração, esperança e confiança para um personagem que não existe.
Muitos deles orientam os pais de que, a certa altura da vida (mais ou menos após os sete ou oito anos), quando a criança começar a demonstrar que se desenvolveu cognitivamente e que o contato com a realidade lhe trouxe dúvidas a respeito da existência do Papai Noel, naturalmente, os pais deverão ir mostrando que se trata apenas de uma fantasia. Alegam que, mesmo se tratando de uma fantasia,a mensagem que ela traz em si é o que realmente importa. Será? Que mensagem é essa?

O que podemos perceber é que ocorre uma completa distração, não apenas por parte das crianças, mas também de seus pais e de toda a família para o materialismo e o consumismo exacerbado (verdadeira intenção por trás deste personagem- o comércio e o esquecimento do Verdadeiro Natal). O que não é diferente na época da Páscoa, quando todos mentem para as crianças e para si mesmas que o Coelho é fértil e bota ovos (no mínimo loucura), e deixam de fixar seus olhos na Verdadeira Pácoa que é Cristo, o CORDEIRO de Deus que tira o pecado do mundo. 
Certa vez, uma educadora falou para mim: "Mas as crianças são muito pequenas para entender CORDEIRO, elas entendem melhor a figura do COELHO. Será?  Eu acredito que é justamente na mais tenra idade que devemos encucar a verdade nas mentes das crianças. Vejam o exemplo dos muçulmanos, desde que os bebês nascem, escutam diversas passagens do Alcorão, constantemente. (não estou dizendo aqui que o Alcorão seja verdadeiro, mas sim, que o exemplo deles no sentido de ser diligentes quanto ao ensino de suas crianças deve ser levado em conta); estou falando o mesmo que o Senhor ensinou ao seu povo em Deuteronômio 6. 5-9: "Amarás, pois, o Senhor teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todas as tuas forças. E estas palavras, que hoje te ordeno, estarão no teu coração; E as ensinarás a teus filhos e delas falarás assentado em tua casa, e andando pelo caminho, e deitando-te e levantando-te.Também as atarás por sinal na tua mão, e te serão por frontais entre os teus olhos. E as escreverás nos umbrais de tua casa, e nas tuas portas."

Deus cobrará de nós a nossa negligência!

Deus proteja as nossas crianças!
Ana Chagas

31 de outubro de 2013

A Reforma Protestante e o ensino fiel do Evangelho para crianças

Hoje precisamos trazer à nossa memória a bênção que foi a Reforma Protestante. Trazê-la, não apenas hoje, e não apenas à memória, mas principalmente à nossa prática de vida e de ensino às nossas crianças; pois muitos andam adulterando a mensagem do Evangelho. Plantemos a semente da verdadeira mensagem do Evangelho no coração delas, e assim, quando ouvirem algo diferente, que foge aos ensinamentos bíblicos, saberão, não apenas identificar, mas estarão preparadas a indicar O Caminho a outras pessoas, quer sejam seus coleguinhas, quer sejam adultos. Sejamos mordomos fiéis na Obra do Senhor, a qual Ele nos confiou.

7 de abril de 2013

Evangelizar crianças com a mensagem de Cristo: Uma prioridade

 "Antes, crescei na Graça e no conhecimento de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo" ( 2 Pe 3.18 a)

Olá, queridos visitantes e seguidores!

Passei aqui no Blog hoje para falar de algo de extrema necessidade: a evangelização de crianças. Nos dias atuais há um grande investimento em evangelismo de crianças brasileiras por parte do islamismo; eu mesma presenciei uma dessas ocsiões em uma pequena cidade no interior da Paraíba certo dia quando estava passando uns dias por lá.
O fato é que muitas de nossas crianças estão sendo bombardeadas com doutrinas que nada falam do Evangelho de Cristo, antes são educadas a vê-lo apenas como mais um profeta, por sinal, menor que Maomé, o qual não morreu na cruz por nós, e nem ressuscitou ao terceiro dia, e não se encontra à destra do Pai na glória dos céus. E isso é extremamente perigoso para a vida espiritual delas.

Esta realidade vem gritar aos nossos ouvidos acerca da urgência em que nos empenhemos na evangelização de crianças e que as crianças passem a ter maior destaque dentro da igreja evangélica protestante em geral. Pois, apesar de muito ser falado sobre evangelzação de crianças, na prática, pouco tem sido feito por nossas igrejas.
A começar, podemos mensurar este fato, a partir do local que é reservado para o ensino de crianças nos templos. Certo pastor comentou, muito triste, por sinal, acerca de uma visita feita a determinada igreja, pois constatou que a sala das crianças ficava na cozinha, ou ainda, num corredor apertado de uma , pasmem, grande igreja. Precisamos analisar qual a importância que temos dado às nossas crianças. Precisamos decidir se aquele momento em que elas são retiradas do ambiente de culto solene onde estãos os adultos é simplesmente para manter a ordem e a reverência no culto, ou se de fato, há um genuíno interesse em instruí-las no conhecimento de Deus; o que deve ser o afã de todo professor de crianças na igreja.

Se pudéssemos ter a noção do quanto as crianças são importantes para o Senhor Jesus, sim, porque Ele gostava de trazer-lhes para junto de si e  de abençoá-las, e isso deve ser um grande exemplo para todos nós (Lc 18.15-16).

Igrejas,invistam seriamente no ministério infantil, na capacitação de seus professores de EBD Infatil, e até mesmo dos professores que ficam com as crianças durante o período do cuto à noite; para que, de fato, este tempo em que as crianças não estão com seus pais seja muito mais do que pintar um desenho alusivo a uma estória bíblica. Que haja mais empenho de nossa parte em fazer Cristo conhecido ao coração dos nossos pequeninos, que às vezes estão dentro de nossas igrejas, mas, infelizmente, não têm tido acesso à mensagem completa do Evangelho de Cristo na linguagem delas.

Pensemos nisso! Reflexão e ação!


12 de janeiro de 2013

É bom ter Jesus no coração

Letras de músicas evangélicas infantis


É bom, é muito bom, 
é muito bom... 
Ter Jesus no coração! (Repete)

Andar com Ele
Bem juntinho dEle
É bom, é muito bom
É bom demais!


Vídeo da Música É bom ter Jesus no coração:

20 de novembro de 2012

Ensinem Doutrinas e não Histórias aos seus alunos



Eu visitava aquela igreja e quando fomos nos dividir em classes na manhã de Domingo o superintendente da EBD, não sei se por inexperiência ou por descuido, disse: "e agora as crianças poderão ir para as suas classes ouvir historinhas"... Quis ser ele gentil? Tencionou ser acessível, recorrendo ao diminutivo para chamar a atenção dos pequeninos? Não sei. Mas o que sei é que infelizmente tem muita gente só contando histórias na EBD aos seus alunos. E só.

Mas não é para contar Histórias?
Claro. A história é bíblica e está na Palavra de Deus. Mas, tantas vezes nos atemos à história, apenas ou tão somente, aos detalhes, e nos esquecemos do PORQUÊ da história. O que Deus fez ali? Como Ele foi honrado, obedecido ou desobedecido? Qual ensino principal tem e traz a lição? Romanos 15.4 diz que "tudo quanto, outrora, foi escrito para o nosso ensino foi escrito, a fim de que, pela paciência e pela consolação das Escrituras, tenhamos esperança". Tem algo a mais na história: tem um ensino para ser passado, uma confiança no Deus Todo-Poderoso para ser reforçada, a Pessoa bendita de Jesus para ser apresentada ou enaltecida, uma lição de fé a ser enfatizada, o Caráter e a Soberania divina a serem destacados, pois quando vierem os dias maus e difíceis para estas crianças ao longo de suas vidas, com o ensino correto, sábio e doutrinário que receberam, a consolação das Escrituras virá de maneira mais precisa aos seus corações e isto poderá livrar as suas almas de muitas dores. O Consolador usará as Escrituras e o que dela se extraiu para o fortalecimento da fé em momentos como perigos, tentação ou provação. Na sua história de vida, o ensinamento doutrinário colhido e bem guardado das histórias que ouviu e aprendeu fará todo sentido e será de grande auxílio. Das histórias que aprendeu, Jesus de Nazaré soube usar a DOUTRINA para a vida. Na hora da tentação e de enfrentar o Tentador, como ocorreram várias vezes, quando este quis deturpar o ensino das Escrituras, Jesus estava plenamente consciente do que dizia o texto, como e para quê estava escrito, e venceu (Lucas 4.1-13; Hebreus 2.18). Destacamos a sua segurança e firmeza diante dos absurdos que ouvia de fariseus, saduceus e de outros religiosos da sua época. Ele não só revelava os seus grandes desvios da Palavra de Deus, como também os fazia corar e calar (Mateus 23.34; Lucas 20.39,40, etc.).
O Departamento Infantil é um lugar de histórias, mas se as crianças vibrarem mais com Davi, por exemplo, do que com o Deus a quem Davi servia e confiava, nós teremos falhado como professores de Escola Bíblica Dominical. Se conhecerem bem a história de Sansão, mas pouco ou quase nada ficar retido dos ensinamentos doutrinários a partir do que ouviu sobre Sansão, então haveremos falhado.

Qual a sua atitude diante da história de Jonas?
Quando chega a nova revista e você vai dar uma olhada superficialmente, você gosta da capa, do título, do tema... aí vai ver o conteúdo das lições: oito lições sequenciais no livro de Jonas. O que você faz? O que você diz? "oh, não. Jonas de novo?!" Afinal, você já contou tantas vezes a história para a turma...
Esta atitude pode ser sintoma de que estamos muito mal acostumados a só contar histórias e a ficarmos procurando sempre um novo meio, técnicas e métodos para contar a mesma história de maneira atraente, perdendo até o sono por causa disso. Contar a história ocupa mais a nossa atenção do que passar o sadio ensino das Escrituras tantas vezes, infelizmente.
A história, as crianças já conhecem. Então, parta daí. Relembre com elas, peça que forneçam detalhes, enriqueça a sua aula com a participação da turminha. Se tem alguém novo na sala que nunca ouviu a história de Jonas, conte para esta criança, mas procure tratar do foco doutrinário com a turma e com o aluno novo também.
O que o livro de Jonas fala sobre Deus? Como Deus se revela no texto? Será que Deus acompanha e intervém? Como temos provas da Sua Soberania? Enfim, quantos ensinos doutrinários maravilhosos. Sugiro que você tenha sempre à mão a Confissão de Fé de Westminster. Estude-a bem, pois tem doutrina segura. Repasse o que aprendeu sobre Deus na história aos seus alunos. Você verá como a sua aula crescerá e as suas crianças também! Adquira um livro de Teologia Sistemática, enfim, prepare melhor e com mais conteúdo teológico as suas aulas. Lembre-se: doutrina edifica. História simplesmente, não. Tem muito preso no sistema carcerário na América do Norte e no Brasil que ouviu muitas histórias bíblicas. Mas foi só. Doutrina trará raízes para a fé que foi plantada no coração infantil e marcará o caráter. Abastecerá a mente e manterá em dia uma cosmovisão bíblica e cristã das coisas; de todas as coisas e para todas as horas. Doutrina norteará o crescimento de uma pessoa tão jovem, e quando esta pessoa chegar à idade adulta não se esquecerá dos estatutos e da Lei do Senhor, que é perfeita e que foi o que ela aprendeu (Pv 22.6).
Ensinar doutrina ao invés de só contar a história lhe permitirá passar por toda a Bíblia. Você apresentará textos em outros livros das Sagradas Escrituras e a criança começará a perceber que a Bíblia é um livro maravilhoso, coerente, vivo, magistral, rico de ensinos preciosos e únicos, de uma unidade perfeita. Verá o princípio de Deus em todas as páginas e crescerá manuseando bem a sua espada! (2 Tm 2.15).

Jonas de novo?! Mas que bênção!!! 
Lembro-me de ter ouvido uma história interessante. Uma professora de alunos com idade de iniciantes no Ensino Fundamental passou todo o semestre trabalhando em cima do livro de Jonas. Contou vários aspectos da Doutrina, como o amor de Deus, a Justiça divina, o agir de Deus na História, o Deus da Providência, etc. As crianças vibraram com tantos ensinamentos.
Quando chegou o dia da convenção anual de famílias daquela denominação, todo um esquema para atender os participantes foi bem elaborado. Tudo muito bem organizado e as crianças foram divididas em grupos e faixas etárias. A professora do dia foi contar exatamente a história de quem?! Isso mesmo: Jonas. E "lá pelas tantas" a empolgada professora chegou na parte em que Jonas foi lançado ao mar. Fez o que pode para demonstrar suspense, aumentou a voz, 'criou um clima', fez aquela entonação característica dos suspenses... "e agora, o que é que vai acontecer com Jonas???!!!" As crianças acompanhavam a empolgada contadora da história do profeta desobediente. Foi quando veio a pergunta:
- Crianças, quem foi que salvou Jonas?!
Uma criança de seis anos respondeu: Deus!
A professora, no seu entusiasmo nem percebeu e disse: "não, meu querido. Foi o peixe"!!!
Ao que um menino de seis anos respondeu: "se a senhora quiser que eu diga que foi o peixe, eu digo. Mas quem mandou o peixe para salvar Jonas foi o Deus de toda a providência!"
A professora aprendeu uma grande lição naquele dia. Estava se atendo demais aos detalhes da história. E só. Tanto, que ela esqueceu exatamente onde Deus estava na história de Jonas. O Senhor estava onde sempre esteve, no entendimento daquele garotinho: Deus regia Soberano e era atuante, conduzindo a história como Lhe aprazia e para a Sua glória.

Plante Doutrina e as crianças serão beneficiadas com isso.
Existem duas maneiras de se contar histórias bíblicas e as crianças nos mostrarão se erramos ou se acertamos. Se elas vibrarem mais e amarem mais os personagens das histórias, algo de muito sério está acontecendo conosco e com a nossa maneira de ensinar.
Que as crianças vibrem com o Grande Deus a quem amamos! As histórias são um excelente meio para afirmarmos e confiramos sempre isto. Ele é fiel. Sim, fiel assim!


Fonte: Editora Fiel

Blog do DERP

Blog do DERP
Clique na imagem e conheça o Blog do DERP- Auxílio para o Professor de EBD